Otimizar o sistema de transportes de Aarhus com Bluetooth (Dinamarca)

Por News Editor / Atualizado: 31 Aug 2015

Os decisores políticos estão continuamente a tentar melhorar o desempenho dos sistemas de transportes. Para tal, necessitam de ter métodos de monitorização eficazes para compreenderem o que se passa e quais os problemas que precisam de ser resolvidos. É por essa razão que, em 2011, as autoridades da cidade de Aarhus decidiram testar um sistema altamente inovador de monitorização do trânsito através de Bluetooth para aferirem de que forma o poderiam utilizar para desenvolver soluções de mobilidade urbana. Atualmente, existem mais de 130 unidades instaladas na cidade.

Context 

Aarhus é uma cidade portuária localizada no centro da Dinamarca. É a segunda maior cidade do país com mais de 323 000 habitantes, sendo que quase 260 000 vivem na zona urbana coerente interior. A Grande Aarhus tem uma população de 1,2 milhões de habitantes. Embora a maioria das pessoas em Aarhus (52 %) utilize um veículo automóvel privado nas suas deslocações, uma percentagem quase tão elevada como esta das deslocações na cidade são sustentáveis: andar a pé (20 %), andar de bicicleta (16 %) e utilizar transportes públicos (10 %).

No início, Aarhus recorria a soluções tradicionais para monitorizar os seus sistemas de transporte, como a tecnologia de reconhecimento automático de matrículas. Contudo, o Bluetooth parecia ser uma solução muito mais eficiente em termos de custos. Foi inicialmente com ceticismo que Aarhus decidiu introduzir faseadamente a tecnologia e testar os diferentes sistemas.

O QUE É O BLUETOOTH?  O Bluetooth é uma tecnologia sem fios que permite o intercâmbio de dados a distâncias custas recorrendo a transmissões de rádio. Foi criada em 1994 pela empresa sueca Ericsson como norma aberta com vista a permitir a conectividade e a colaboração entre produtos e empresas díspares.

 

In action 

Após uma fase de concurso, foram implementados sistemas Bluetooth de três empresas diferentes e testados em duas estradas de circunvalação. Aarhus selecionou um sistema de sensores de trânsito, o BlipTrack, criado pela BLIP Systems (Bluetooth Local Infotainment Point), e lançou a tecnologia selecionada nas principais estradas. O sistema BlipTrack é composto por três sensores Bluetooth e, de modo a aumentar a taxa de deteção, utiliza duas antenas direcionais. Os sensores detetam os sistemas Bluetooth dos veículos e os sinais Bluetooth provenientes de dispositivos como telemóveis e tablets. A distância entre os nós tem de ser de, pelo menos, 500 metros e os nós estão colocados entre cruzamentos onde o trânsito se encontra em movimento.

Adicionalmente, foram desenvolvidos algoritmos para filtrar os dados gerados. Este processo reduz a quantidade de dados, mas produz um conjunto final de dados de melhor qualidade. As principais estradas da Estrada de Circunvalação 1 e periféricas foram equipadas com «registadores» de dados Bluetooth. Para o conseguir, Aarhus cooperou com dois municípios vizinhos uma vez que os registadores necessitavam de ser colocados nas estradas desses municípios, e o Diretório Rodoviário dinamarquês para os registadores nas estradas estatais.

Os dados recolhidos são transferidos com recurso a tecnologia 3G e a uma rede local (LAN) e guardados de forma segura na Internet (ou seja, «na nuvem») onde utilizadores como os engenheiros que coordenam o trânsito podem aceder aos referidos dados com recurso a um painel de instrumentos de fácil utilização. O sistema permite a medição simultânea de múltiplas vias, funciona em quaisquer condições atmosféricas, não requer manutenção e pode ser instalado em 15 minutos em postos já existentes sem perturbar o trânsito.

Results 

Quando se combinam os dados recolhidos de todos os sensores, é possível conseguir uma imagem rigorosa acerca de cada utilizador das estradas (por exemplo: o tempo que permaneceu na estrada, os padrões de movimentação, os tempos de viagem, a origem e o destino, etc.). As informações do sistema de monitorização servem para informar e alertar os engenheiros que coordenam o trânsito da cidade acerca de filas e atrasos, identificar áreas problemáticas, avaliar e calibrar os sinais de trânsito, disponibilizar informação acerca da capacidade das estradas existentes e detetar alterações nos padrões do trânsito.

Challenges, opportunities and transferability 

«Agora temos uma solução que podemos utilizar no nosso planeamento diário, embora ainda tenhamos muito que aprender», admite Michael Bloksgaard, líder do projeto em Aarhus. Um obstáculo considerável, referiu ele, foi a familiarização com a tecnologia. «Quando o primeiro piloto começou, tínhamos muitas ideias mas não tínhamos experiência com a tecnologia. O maior desafio foi definir o que funciona, mas principalmente o que não funciona.» Como tal, Michael Bloksgaard teve de definir um conjunto de etapas para identificar exatamente o que procurar aquando da colocação dos registadores Bluetooth.

Michael Bloksgaard descreve como particularmente desafiantes as questões de como gerir os dados e retirar o máximo de valor da tecnologia.  «Só conseguiremos fazer uso pleno de todos os benefícios desta solução quando conseguirmos informar os viajantes acerca dos tempos de viagem, planear os nossos investimentos em infraestruturas tendo em conta os congestionamentos e os preços e medir o valor dos investimentos em infraestruturas após a implementação», referiu.

De momento, Aarhus tem as atenções centradas no acesso rápido e fácil aos dados ao nível certo de agregação, de modo a assegurar que os dados são efetivamente utilizados. Adicionalmente, assegurar a boa qualidade dos dados também constituirá um desafio. Aarhus estará atenta à qualidade dos dados gerados pelo sistema sob a forma de uma verificação realizada uma vez por ano.

Embora não guarde as informações que recolhe, Aarhus apoia o desenvolvimento de aplicações, ferramentas e serviços inteligentes por parte de inovadores ao disponibilizar todos os dados ao público através do seu sítio de dados abertos. Além disso, o município planeia atividades como o convívio «Aarhus Data Drinks Meetup» onde os programadores se podem encontrar cara-a-cara, disponibiliza um local de encontro virtual onde os programadores podem colaborar e também atribui incentivos financeiros. Graças a esta abordagem, já foram desenvolvidas várias aplicações (semelhantes a uma aplicação que orienta os utilizadores no meio do trânsito).

In Depth 
Topic: 
Traffic and demand management
Country: 
Denmark
City: 
Aarhus
Contact: 
Michael Bloksgaard
Author: 
Daan Kuiper
04 Apr 2015
31 Aug 2015