Home > Content > Devolver a cidade de Madrid às pessoas (Espanha)

Devolver a cidade de Madrid às pessoas (Espanha)

Por News Editor / Atualizado: 28 Jan 2015

A cidade de Madrid desenvolveu o seu Plano de Mobilidade Urbana Sustentável (PMUS) que define os objetivos gerais para a cidade até 2020. Estes objetivos dizem respeito à melhoria da qualidade ambiental, da competitividade económica, da segurança rodoviária e da abrangência do modelo de mobilidade da cidade. O PMUS define as prioridades da cidade, antecipa cenários futuros, estabelece ações concretas e indica as considerações necessárias para a sua execução.

A ambição do Plano é devolver a cidade às pessoas, que a perderam para os veículos. Permitirá que os transportes públicos sejam mais flexíveis e completos e garantirá que as pessoas possam usufruir de ruas mais atrativas e mais saudáveis, promovendo a mobilidade ativa. 

Context 

Madrid é a metrópole mais populosa do sul da Europa e a terceira mais populosa do continente. Na cidade vivem aproximadamente 3,23 milhões de pessoas (5294,5 habitantes por km²) e a sua área metropolitana tem mais de 6,5 milhões de habitantes.

A cidade é conhecida pelas suas largas avenidas e por quatro circulares rodoviárias principais, ligadas por uma infraestrutura rodoviária radial. Mas Madrid é também famosa pelo seu sistema de transportes públicos de grande capacidade: uma rede de metropolitano com 293 km e nove linhas de comboios suburbanos com 89 estações que ligam a área metropolitana à cidade, onde existem 13 grandes interfaces de transportes. A rede de autocarros urbanos, com 200 linhas que percorrem trajetos com uma extensão total de aproximadamente 775 km, cobre áreas não abrangidas pelo metropolitano. As 1 560 bicicletas elétricas do sistema público de bicicletas e os serviços de partilha de automóveis reforçam a flexibilidade de transporte.

Quarenta e três por cento do espaço total da cidade é destinado aos peões; 42 por cento dos cidadãos utilizam transportes públicos, 29 por cento deslocam-se a pé e 29 por cento utilizam veículos privados. Apesar da repartição modal já positiva, o PMUS de Madrid pretende continuar a desencorajar a utilização de automóveis particulares em favor dos transportes públicos e de modos de transporte ativos, com vista a reduzir os impactos negativos do tráfego automóvel e a melhorar a qualidade de vida dos cidadãos.

In action 

O PMUS baseia-se no trabalho realizado pelo Conselho de Mobilidade de Madrid, um organismo participativo que criou uma visão do modelo de mobilidade sustentável para a cidade, que foi partilhada e acordada pelos seus principais intervenientes (por exemplo, partidos políticos adversários, sindicatos, a Câmara do Comércio, associações de moradores e a Autoridade dos Transportes).

Para a elaboração do Plano foi efetuado um diagnóstico exaustivo da situação atual de mobilidade em Madrid, incluindo projeções de oferta e procura para 2020.

O Plano adotou os objetivos do Conselho de Mobilidade com base neste diagnóstico e tendo em consideração os registos e o quadro estratégico do PMUS. O Conselho de Mobilidade recorre a um processo participativo para a análise qualitativa do diagnóstico e das linhas estratégicas de ação do plano. Este processo permite a deteção de pontos fracos do sistema e a prossecução da viabilidade e conveniência de potenciais medidas.

O Plano estabeleceu três pontos de incidência principais:

  • O desencorajamento de mobilidade menos eficiente
  • A promoção de modos de transporte sustentáveis
  • O aperfeiçoamento do sistema global de mobilidade

Graças ao Relatório sobre a Situação de Mobilidade de Madrid, foi estabelecido um mecanismo de monitorização anual. Avaliações mais aprofundadas terão lugar em 2017 e em 2020.

Results 

O Plano sugere 95 medidas específicas, orientadas para alcançar (até 2020) uma redução de quase seis por cento do tráfego na cidade em favor da mobilidade pedonal, da utilização da bicicleta e dos transportes públicos.

Entre as medidas de maior relevo encontram-se a implementação de um Sistema de Estacionamento Regulamentado (SER) inteligente, a melhoria da rede de ciclovias, a criação de métodos de estacionamento alternativos e de vias reservadas a autocarros, bem como a implementação de soluções tecnológicas para controlar o acesso ao tráfego em áreas de carga e descarga.

O PMUS aumentará o conforto dos cidadãos e melhorará a sua qualidade de vida através da redução do uso do automóvel. Madrid estima que, com a implementação das medidas do Plano, serão percorridos de automóvel menos 3,2 milhões de quilómetros por dia, o que corresponde a uma redução de 135 000 toneladas de CO2, 400 toneladas de NOx e 26 toneladas de PM2,5.

Madrid prevê que, em 2020, terá de comportar cerca de 130 000 deslocações adicionais por dia (um aumento de 3,5 por cento). O Plano permitirá que este aumento seja absorvido por meios de transporte sustentáveis para evitar um agravamento do congestionamento na cidade.

Espera-se que as medidas de desencorajamento da utilização de veículos privados e de promoção de outras formas de transporte aumentem a quota dos transportes públicos de 42 para 45 por cento. Formas de mobilidade ativa, tais como a deslocação a pé e a utilização da bicicleta, aumentarão de 29 para 32 por cento. Consequentemente, a utilização de veículos privados deverá descer de 29 por cento das deslocações diárias atuais para 23 por cento.  

Challenges, opportunities and transferability 

Este Plano coloca desafios importantes, tais como a conceção de um espaço urbano mais local, humanizado e social de que as pessoas possam desfrutar, numa vasta metrópole que enfrenta milhões de deslocações diárias e que necessita de assegurar a sua acessibilidade e eficiência económica.

Os desafios específicos serão a melhoria da qualidade ambiental da cidade e a redução do tráfego, garantindo também ao mesmo tempo um certo volume de tráfego de veículos privados através da regulação e organização rodoviária. O aumento da velocidade operacional dos transportes públicos também representa um desafio, especialmente fora da M-30 (a via rápida de circunvalação que rodeia o centro de Madrid), e o mesmo se passa com a melhoria da eficiência da distribuição de mercadorias urbanas.

Mas, ao mesmo tempo, os responsáveis municipais dizem que este Plano oferece a oportunidade de devolver espaço aos cidadãos, maximizando o caráter de lazer de ruas e praças, e a oportunidade de aumentar o capital social e natural para os cidadãos de Madrid, que desejam continuar a viver e evoluir numa cidade saudável, eficiente e confortável.

In Depth 
Topic: 
Urban mobility planning
Region: 
Southern Europe
Country: 
Spain
City: 
Madrid
Author: 
Marco Valerio Salucci
07 Oct 2014
28 Jan 2015
Recommend
subir
1 user has voted.
Share on